Verde

2004
Badi Assad – vocal, guitar
Rodolfo Stroeter – production, bass
Webster Santos – mandolim, 12 string guitar
Edmilson Cappelupi – 7 string guitar
Teco Cardoso – flute
Guello, Guilherme Kastrup – percussion

Special Guests:
Naná Vasconcelos – percussion (5,6, 7, 9, 10,12)
Luca Raele – clarinets (11)
Carolina Assad – vocal (7, 9)
Carlinhos Antunes – cuatro (8)
Dimos Goudaroulis – cello (10,12)
Toquinho – guitar (16)
Toninho Ferragutti – acordeon (15)

Cheguei Meu Povo (Mestre Walter)
Asa Branca (Luiz Gonzaga/Humberto Teixeira)
Básica (Tatiana Cobbett)
Não Adianta (Badi Assad e Jeff Young)
One(U2)
Você Não Entendeu Nada(Badi Assad)
Viola, Meu Bem (Domínio Público)
O Verde é Maravilha (RuyMaurity/J.Jorge)
Feminina (Badi Assad/Simone Soul)
Bachelorette (Björk/Sigurjon Sigurdsson)
Seu Delegado(Jorge Bernardo/Juraci de A.Aranha/Raul G. Marques)
Estrangeiro em Mim (Badi Assad)
Bom Dia Tristeza(Adoniran Barbosa/Vinicius de Morais)
The Being Between (Badi Assad/Jeff Young)




Cheguei Meu Povo
(Mestre Walter)

Cheguei meu povo
Cheguei pra vadiar
Sou eu a nação estrela
Não prometo pra faltar



Asa Branca
(Luiz Gonzaga/Humberto Teixeira)

Quando olhei a terra ardendo
Qual a fogueira de são joão
Eu preguntei a Deus do céu, ai
Por que tamanha judiação
Eu preguntei a Deus do céu, ai
Por que tamanha judiação

Que braseiro, que fornalha
Nem um pé de prantação
Por falta d’água perdi meu gado
Morreu de sede meu alazão

Por farta d’água perdi meu gado
Morreu de sede meu alazão

Inté mesmo a asa branca
Bateu asas do sertão
Então eu disse, adeus rosinha
Guarda contigo meu coração

Então eu disse, adeus rosinha
Guarda contigo meu coração

Hoje longe, muitas léguas
Numa triste solidão
Espero a chuva cair de novo
Pra mim voltar pro meu sertão

Espero a chuva cair de novo
Pra mim voltar pro meu sertão

Quando o verde dos teus olhos
Se espalhar na prantação
Eu te asseguro não chore não, viu
Que eu voltarei, viu
Meu coração

Eu te asseguro não chore não, viu
Que eu voltarei, viu
Meu coração


Básica
(Tatiana Cobbett)

De blusinha branca
De blusinha branca
Calcinha vincada
Cintinho dourado
Eu fui viajar

De blusinha branca
De blusinha branca
Uma flor na lapela
Uma saia amarela
Eu saí pra dançar

De blusinha branca
De blusinha branca
Coração apertado
Um nego do lado
Eu fui me vingar

De blusinha branca
De blusinha branca
Desci a ladeira
Com a mão nas cadeiras
E fui trabalhar

O branco diz que é paz
Se é branco tinge mais
Faz traje pro louvor
Pra noiva, pro doutor
A moda vem e vai
Fica difícil acompanhar
Mas de blusinha branca
Eu vou a qualquer lugar


Não Adianta
(Badi Assad/Jeff Young)

Não adianta pedir que eu não dou
Não adianta querer que eu não vou
Não adianta, não adianta
Não adianta me seduzir

Não adianta dizer a direção
Não adianta levantar a mão
Não adianta, não adianta
Não adianta a manipulação

Sem essa de vir com essa cara de mau
Sem essa de olhar com essa cara de pau
Sua boca mexe mas não diz nada
Seus lábios beijam sem sabor

Suas palavras, suas risadas
Seu papo furado pra tudo que é lado
Seu penteado de lado, sapateado
Seu rebolado pra tudo que é lado

Na na na na na na na na
I don’t want you in my custard pie

Que saco!

Não precisa dizer-me quem eu sou
Não adianta fingir todo esse amor
Nao adianta, não adianta
Não adianta querer me controlar

Drop down, drop down

Não adianta entrar na contramão
Não adianta ser de escorpião
Pra que tanta volta na parada
Pra que toda essa confusão

Suas palavras, suas risadas
Seu papo furado pra tudo que é lado
Seu penteado de lado, sapateado
Seu rebolado pra tudo que é lado



One
(U2)

Is it getting better?
Or do you feel the same?
Will it make it easier on you now?
You got someone to blame

You say one love, one life
It’s one need in the night
One love, we get to share it
Leaves you, baby, if you don’t care for it.

Did I disappoint you?
Or leave a bad taste in your mouth?
You act like you never had love
And you want me to go without

Well, it’s too late, tonight,
To drag the past out into the light
We’re one, but we’re not the same
We get to carry each other, carry each other
One

Have you come here for forgiveness?
Have you come to raise the dead?
Have you come here to play Jesus
to the lepers in your head?

Did I ask too much, more than a lot?
You gave me nothing, now it’s all I got
We’re one, but we’re not the same.
Well, we hurt each other, then we do it again.

You say:
Love is a temple, love a higher law
Love is a temple, love the higher law
You ask me to enter, but then you make me crawl
And I can’t keep holding on to what you got
When all you got is hurt.

One love, one blood
One life you got to do what you should.
One life with each other: sisters, brothers.
One life, but we’re not the same.
We get to carry each other, carry each other.
One! One!


Você Não Entendeu Nada
(Badi Assad)

Você não entendeu nada
Minha língua não liquidifica
Minhas mãos não centrifugam
Minhas águas não inundam

Você não entendeu nada
Minha fome é muito mais que carne
É algo além no dentro que se abre
E me invade de infinito

Você cala e eu grito
Você deita e eu levito
Você nega e eu acredito

Nós os laços e os nós
Eu, a vida e o vinho a sós

Você não entendeu nada
No retrovisor das palavras
Na direção dos meus navios
Na intenção dos meus sorrisos

Pois eu não lhe pedi nada
Que não pudesses me dar
Vou te contar beijos se podem dividir
Nesse mundo de linguagens

Você concavo, eu convexo
Você rima e eu verso
Você fica e eu atravesso

Nós os laços e os nós
Eu, a vida e o vinho a sós



Viola, meu bem
(domínio público)

Vou me embora pro sertão
Oh viola meu bem, viola

Que eu aqui não me dou bem
Oh viola meu bem, viola

Sou funcionário da leste
Sou maquinista do trem

Vou me embora pro sertão
Que eu aqui não me dou bem
Oh viola meu bem, viola



O Verde é Maravilha
(Ruy Maurity/J.Jorge)

Verde é maravilha
fruta de quitanda
O sol quando brilha
Tem flor de ciranda

A água do rio molha os campos
Meu coração bate pilão
E o meu coração, bate pilão

O galo canta no quintal
O boi amansa o mato de manhã
A cana no canavial
Um gosto novo de hortelã

Maria foi um nome de empregada
Bateu pilão na beira da estrada
Fez um colar de bolinhas de gude
Na beira do açude ela vai cantar

Maria foi um nome de empregada
Bateu pilão na beira da estrada
Fez um colar de bolinhas de gude
Na beira do açude ela vai cantar

Verde é maravilha
fruta de quitanda
O sol quando brilha
Tem flor de ciranda

A água do rio molha os campos
Meu coração bate pilão
E o meu coração, bate pilão

O galo canta no quintal
O boi amansa o mato de manhã
A cana no canavial
Um gosto novo de hortelã

Maria foi um nome de empregada
Bateu pilão na beira da estrada
Fez um colar de bolinhas de gude
Na beira do açude ela vai cantar

Maria foi um nome de empregada
Bateu pilão na beira da estrada
Fez um colar de bolinhas de gude
Na beira do açude ela vai cantar

Na beira do açude ela vai cantar …
Na beira do açude ela vai cantar …
Na beira do açude ela vai cantar …
Na beira do açude ela vai cantar …



Feminina
(Badi Assad/Simone Soul)

Mulher do mundo
Mulher do mundo
Mulher que mexe e remexe
Com a alma do mundo

Mexe o corpo
Mexe a mente
Mexe com toda a gente
Mães e filhas
Musas e meninas
Música feminina



Bachelorette
(Björk/Sigurjon Sigurdsson)

I’m a fountain of blood
In the shape of a girl
You’re the bird on the brim
Hypnotised by the Whirl

Drink me, make me feel real
Wet your beak in the stream
Game we’re playing is life
Love is a two way dream

Leave me now, return tonight
Tide will show you sweet bliss
If you forget my name
You will go astray
Like a killer whale
Trapped in a bay

I’m a path of cinders
Burning under your feet
You’re the one who walks me
I’m your one way street

I’m a whisper in water
Secret for you to hear
You are the one who grows distant
When I beckon you near

Leave me now, return tonight
The tide will show you the way
If you forget my name
You will go astray
Like a killer whale
Trapped in a bay

I’m a tree that grows hearts
One for each that you take
You’re the intruders hand
I’m the branch that you break
Hum-yeah!



Seu Delegado
(Jorge Bernardo/Juraci de A.Aranha/Raul G. Marques)

Mas seu doutor já não posso mais
Vou dar fim na minha vida
Vou viver em paz

Seu delegado já não posso mais
Vou dar fim na minha vida
Vou viver em paz

Pois sou viúvo e tenho um filho homem
Arrumei uma viúva e fui me casar
Mas minha sogra que é muito teimosa
Com o meu filho foi se matrimoniar
Desse matrimônio nasceu um garoto
Desde esse dia que eu ando louco
Esse garoto é filho do meu filho
Sendo filho da minha sogra
Irmão da minha mulher
Ele é meu neto e eu sou cunhado dele
Minha sogra é minha nora
Meu filho, meu sogro é

Dessa confusão eu já nem sei quem sou
Acaba esse garoto sendo meu avô
Acaba esse garoto sendo meu avô …

Mas seu doutor já não posso mais
Vou dar fim na minha vida
Vou viver em paz

Seu delegado já não posso mais
Vou dar fim na minha vida
Vou viver em paz

Pois sou viúvo e tenho um filho homem
Arrumei uma viúva e fui me casar
Mas minha sogra que é muito teimosa
Com o meu filho foi se matrimoniar
Desse matrimônio nasceu um garoto
Desde esse dia que eu ando louco
Esse garoto é filho do meu filho
Sendo filho da minha sogra
Irmão da minha mulher
Ele é meu neto e eu sou cunhado dele
Minha sogra é minha nora
Meu filho, meu sogro é

Dessa confusão eu já nem sei quem sou
Acaba esse garoto sendo meu avô

Dessa confusão eu já nem sei quem sou
Acaba esse garoto sendo meu avô

Seu doutor …
Seu delegado …

Mas seu doutor já não posso mais
Vou dar fim na minha vida
Vou viver em paz

Seu delegado já não posso mais
Vou dar fim na minha vida
Vou viver em paz



Estrangeiro em Mim
(Badi Assad)

Se fecho os olhos ainda me sinto como antes
Antes quando o olhar era profundo
Nossa fala não como gomo de fruta cítrica
Antes quando os olhos eram apenas arcos

Mas tempo passa e a gente muda
E onde havia mar, hoje nem aquário
E ternos abraços em vestidos
Nem no armário

Você – estrangeiro em mim

É tão triste sentir
O seu verso não mais esdrúxulo
Laços evitando em serem nós
E o meu ventre que aprendeu a ser ventriloco
É tão triste sentir
Sua lingual revelando outras linguagens
O seu peso não afastanto meus pesares
Tatos não mais como tatuagem

Mas tempo passa e a gente se cansa
De ser lança na lua cheia de dragão
E nosso sol se expõe na solidão

Você – estrangeiro em mim



Bom dia Tristeza
(Adoniran Barbosa/Vinicius de Morais)

Bom dia tristeza
Que tarde tristeza
Você veio hoje me ver
Já estava ficando até meio triste
De estar tanto tempo longe de você

Se chegue tristeza
Se sente comigo
Aqui nesta mesa de bar
Beba do meu copo
Me dê o seu ombro
Que é para eu chorar
Chorar de tristeza
Tristeza de amar



The Being Between
(Badi Assad/ Jeff Scott Young)

The baby flies away
Backwards through the windows of innocence
Little baby, maka lays drinking
The new morning state
The being between
Eagle feathers of our intent

The first smile
Crossed arrow resting on this night of grace
Rattlesnake shakes his tale
At the first dance
Frees a child prince
The human’s journey
A cactus flower in the father’s hands